1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading...
458 Views

O câncer de testículo ocorre quando as células normais em um ou ambos os testículos se transformam em células anormais e crescem fora de controle. Os testículos produzem esperma e hormônios masculinos.

O câncer de testículo ocorre mais freqüentemente em meninos e homens com idades entre 15 a 35 anos. Mas a maioria dos casos de câncer testicular pode ser curada com o tratamento.

O primeiro sintoma do câncer testicular é geralmente um nódulo ou inchaço no escroto que não é doloroso. Outros sintomas podem incluir:

  • Dor ou sensação de peso na parte inferior do abdome, ao redor do ânus ou escroto.
  • Dor nos testículos ou no escroto.

Esses sintomas podem ser causados ​​por condições que não são câncer. Mas se você sentir um caroço no testículo, você deve consultar seu médico o mais rápido possível.

Se existir a suspeita de câncer testicular, solicita-se um ultrassom da bolsa escrotal. Em homens com suspeita da doença, uma massa ou nódulo visto na ultrassonografia pode ser um sinal de câncer testicular.

A única maneira de saber com certeza se um homem tem câncer de testículo é com a remoção do testículo anormal. A cirurgia para remover o testículo é chamada de “orquiectomia”.

O estadiamento serve para saber o estagio que a doença se encontra, geralmente envolve exames de sangue, tomografia computadorizada ou outros exames de imagem.

O tratamento inicial envolve a remoção do testículo. A sequência  do tratamento depende de 3 coisas:

  • O tipo de câncer encontrado. 
  • Se existe ou não um risco de retorno da doença.
  • Se o câncer se espalhou para fora do testículo.

Em geral, as opções de tratamento complementar para o câncer testicular podem incluir qualquer um dos seguintes:

  • Quimioterapia – Quimioterapia é o termo médico para medicamentos que matam as células cancerosas ou impedem que elas cresçam.
  • Radioterapia – a radiação mata as células cancerígenas.
  • Cirurgia – em alguns casos é necessário cirurgia para remover os gânglios linfáticos do retroperitônio que drenam a região do tumor. Esta cirurgia pode ajudar a prevenir a propagação do câncer testicular no corpo. Também pode ser necessária cirurgia para remover metástases em outra parte do corpo, caso o câncer se espalhar, como pulmão e fígado.
  • Acompanhamento rigoroso após orquiectomia (também chamado de vigilância ativa) – Após a remoção do testículo, o tratamento com quimio ou radio nem sempre é necessário. Para esses homens, os médicos recomendam monitorar, com exames de sangue e imagem, em busca de mudanças que possam indicar o retorno do câncer.

Se você quiser ser ter filhos converse com seu médico antes de iniciar o tratamento. Tratamentos para câncer testicular podem reduzir ou interromper a produção de espermatozóides. Alguns homens escolhem armazenar seus espermatozóides antes do tratamento para que possam usá-lo no futuro para ter um filho.

Após o tratamento, será necessário acompanhamento para ver se o câncer volta. Os exames incluem exames de sangue e exames de imagem, como radiografias e tomografias computadorizadas.